sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Detalhes
Notícia postada no dia 24/10/2014

Foto: Silvia Izquierdo/AP O pedido para retirada da reportagem publicada na página do 
Facebook da revista Veja feito pela coligação de apoio a candidata Dilma Rousseff (PT) foi negado nesta sexta-feira (24). 

O pedido para retirada da reportagem publicada ontem (23) na página do Facebook da revista Veja feito pela coligação de apoio a candidata Dilma Rousseff (PT) foi negado nesta sexta-feira (24).

A matéria apresenta o seguinte título: "Tudo o que você queria saber sobre o escândalo da Petrobrás: Dilma e Lula sabiam”. A reportagem acrescenta que o doleiro Alberto Youssef disse que Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabiam do esquema de corrupção na Petrobras.

Na representação, a coligação de Dilma acusa Veja de ter antecipado sua edição para sexta-feira para "tentar afetar a lisura do pleito eleitoral". A representação diz ainda: "a matéria absurda de capa [...] imputa crime de responsabilidade à candidata Representante (...) e a mensagem ofensiva da capa da revista tem por objetivo bem delineado: agredir a imagem da candidata Representante" .

Para negar o pedido o ministro Admar Gonzaga alegou que o artigo da lei eleitoral citado na representação (art. 57-D, § 3º, da Lei das Eleições) para pedir a retirada do ar não está em vigor nas eleições deste ano. Com isso, a representação foi arquivada, sem julgamento sobre o conteúdo.

"O dispositivo invocado para a suspensão da veiculação (§ 3º do art. 57-D da Lei nº 9.504/1997), consoante entendimento deste Tribunal Superior (Consulta nº 1000-75), não tem eficácia para o pleito de 2014, razão pela qual indefiro liminarmente a petição inicial e extingo o processo sem resolução do mérito, nos termos do art. 267, I, do Código de Processo Civil.", diz o despacho do ministro.


   
Istoé/Sensus: Aécio lidera com 54,6% das intenções de voto e abre 9,2 pontos contra Dilma
Foto: Reprodução
O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, aparece com 54,6% das intenções de voto no último levantamento Sensus/Istoé, considerando os votos válidos, contra 45,4% da presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição. A diferença é de 9,2 pontos percentuais, o equivale a aproximadamente 12,8 milhões de votos. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Com a totalidade dos votos, Aécio tem 48,1% e Dilma, 40%; 11,9% (aproximadamente 12,8 milhões de eleitores) ainda não decidiram o voto. A consulta entrevistou 2 mil pessoas em 24 estados e em 136 municípios. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01166/2014.

Sem dar entrevista, Aécio diz que PT tenta censurar Veja
Foto: Reprodução
Em rápido pronunciamento à imprensa, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, acusou o PT de tentar censurar a última edição da revista Veja, publicada nesta sexta-feira (24). O tucano não quis dar entrevista e fez apenas uma declaração sobre a reportagem de capa da Veja em que o doleiro Alberto Youssef, preso desde março, acusa a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (ambos do PT) de terem conhecimento de um suposto esquema de desvio de dinheiro da Petrobras. "A denúncia é extremamente grave e tem que ser confirmada, mas é preciso que seja também apurada", afirmou o candidato tucano, que acusou o PT de tentar censurar a publicação. "O Brasil merece uma resposta daqueles que governam o País. Infelizmente, a única manifestação foi pela censura, pela retirada de circulação da maior revista nacional. Essa não é, certamente, a resposta que os brasileiros aguardam", disse. O candidato tucano recusou-se a responder as perguntas de jornalistas, ao contrário do que tem feito diariamente durante a campanha, quando grava depoimentos para emissoras de TV. "Hoje não vou dar entrevista. Vou fazer apenas uma declaração em razão da relevância do tema", disse em uma sala do Hotel Sheraton, no Leblon, zona sul do Rio, onde passou o dia possivelmente se preparando para o debate desta sexta-feira (24) na TV Globo.

Pesquisa Eleitoral para Presidente

Datafolha - Pesquisa Presidente 2º Turno

A última pesquisa Datafolha sob encomenda da TV Globo e do jornal "Folha de S.Paulo" sobre o segundo turno da eleição presidencial em 2014, divulgada dia 23 de outubro, mostra Dilma no primeiro lugar, seis pontos percentuais à frente de Aécio Neves.

Pesquisa para Presidente da República (Votos Válidos)

CandidatoIntenções de Voto (%)
Dilma (PT)53%
Aécio Neves (PSDB)47%
O cálculo dos votos válidos é feito através da exclusão dos votos em branco, nulos e os dos eleitores indecisos. Este é o procedimento usado pela Justiça Eleitoral para chegar os resultados oficiais da eleição. O candidato eleito no segundo turno é aquele que alcança a maioria dos votos.

Pesquisa para Presidente da República (Votos Totais)

CandidatoIntenções de Voto (%)
Dilma (PT)48%
Aécio Neves (PSDB)42%
Branco/Nulo/Nenhum5%
Não Sabe5%
Questionaram também os entrevistados sobre a certeza do voto para cada candidato. 46% afirmaram que votariam com certeza em Dilma, 15% talvez votassem nela, 37% não votariam de forma alguma e 1% não sabem. 39% declaram que votariam com certeza em Aécio Neves, 18% talvez votassem nele, enquanto 41% não votariam de forma alguma e 2% não sabem.
A pesquisa foi realizada entre os dias 22 e 23 de outubro de 2014 com 9.910 eleitores em 399 municípios brasileiros. A margem de erro é dois pontos percentuais para mais ou para menos com um nível de confiança de 95%. A pesquisa está registrada do TSE sob o protocolo nº BR-01162/2014 e foi divulgada no site Globo.com.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Detalhes
Notícia postada no dia 22/10/2014
Nesta quarta-feira, 22, por volta das 16hs as três vítimas da chacina na Caraíbas de Umburanas deram entrada na sala do IML de Jacobina para ser efetuada a perícia técnica. As vítimas foram identificadas como:  Domingos Vieira da Silva” Niltao “, Marli Maria de Jesus, 40 anos, e Thiago Vieira da Silva 18 anos.

     
Marli vítima da chacina
Três integrantes da família  foram executadas  a tiros no início da madrugada desta quarta, 22, por um emento identificado como Robson Ribeiro Camacam que esta foragido.
Robson suposto homicida identificado pela policia
A polícia investiga o caso, e há fortes indícios que pode teria uma segunda pessoas que ajudou o homicida na chacina.
Momento da Chacina
O suposto autor  Robson teria invadido a residência na companhia de comparsas na comunidade de Caraíba, próximo ao povoado de Delfino em Umburanas, efetuando vários disparos contra as vítimas.
A motivação familiares e a policia suspeita de uma rixa do Thiago contra o filho do Robson.
Informações dão conta que no domingo anterior  Robson  deflagrou tiro contra Thiago em uma tentativa de homicídio.
A policia investiga o caso  estão em diligência com o  objetivo de prender o autor do homicídio a qualquer momento.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Detalhes
Notícia postada no dia 22/10/2014
Nesta madrugada desta quarta feira, 22, por volta das 00:30 na comunidade de Caraíba que pertence ao município de Umburanas três pessoas foram barbaramente assassinadas.
Segundo a policia três elementos em um veículo corsa placa de Salvador invadiram a residência na localidade de Caraíba e deflagraram vários tiros em três integrantes da mesma família.
As pessoas inicialmente identificada como Niltão uma mulher de pré nome Marli e um menor identificado por Thiago, os três integrantes são da mesma família mãe, filho e sobrinho a policia esta no local.
A perícia técnica deve se deslocar nesta manhã para fazer o levantamento cadavérico e encaminhar os corpos ate a sala do IML de Jacobina.
A polícia investiga esta chacina ocorrida no município de Umburanas, .

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Ourolândia: Homem é morto a tiros em Lagoa do 33 após briga em bar

20/10/14 - Sandro de Jesus Sousa, de 27 anos, foi morto a tiros na madrugada deste último domingo durante uma briga que começou em um bar da comunidade de lagoa do 33, zona rural do município de Ourolândia. 

Segundo informações do delegado Cleber Azevedo, a vítima teria se desentendido com uma pessoa conhecida na comunidade como Boré, que foi espancada por ele. Ao saber do caso, um Guarda Municipal de Ourolândia que é irmão de Boré procurou Sandro e lhe deu dois tapas na cara. Inconformado, Sandro foi em casa buscar um facão e quando saia de sua residência foi baleado por uma pessoa que estava na garupa de uma moto à espreita. 

Depois do disparo, o piloto da moto fugiu tomando sentido ignorado. O delegado informou ainda que testemunhas afirmaram que a pessoa que pilotava a moto seria um homem conhecido como Chumbo D'água e o atirador que estava na garupa seria um primo de Boré, conhecido como Heron. Os dois estão sendo procurados pela polícia. O corpo de Sandro foi necropsiado no DPT de Jacobina e liberado para sepultamento.
Fonte: Bahia Acontece.
Detalhes
Notícia postada no dia 21/10/2014

 A partir desta quarta – feira, 22, será implantada a primeira etapa do plano de circulação, estacionamento rotativo zona azul, novas sinalizações já foram implantadas para facilitar a vida do motorista para se adequar as novas mudanças da mobilidade urbana.
O Diário da Chapada em contato com o coordenador do SMTT Wagner Melkart ele nos informou que haverá mudanças na Av. Orlando O Pires se estendendo até o Clube 2 de Janeiro, denominado Binário Sul, a via se tornara sentido único.
Outra mudança acontecera nas ruas Margem Rio do Ouro e Senador Pedro Lago os veículos irão trafegar em sentido único.
Já está valendo para esta quarta – feira as seguintes mudanças, os veículos terão sentido do bairro da Caeira, Av. Orlando Oliveira Pires e Matriz, ficando o motorista que quiser realizar o retorno terá que ser feito pela rua Senador Pedro Lago, Praça Rio Branco e Manoel Novais.
Maiores informações acompanhe a entrevista com Wagner Melkart e integrantes da empresa Zona Azul nesta quarta – feira as 07hs no programa Jornal Popular da Serrana Líder FM apresentado por Geraldo Oliveira.

domingo, 19 de outubro de 2014

Detalhes
Notícia postada no dia 19/10/2014
 

A estratégia petista de desconstrução do adversário no horário eleitoral e nas inserções está dando trabalho para a assessoria jurídica da campanha de Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República. 

Advogados do tucano deram entrada na Procuradoria Geral Eleitoral e no Tribunal Superior Eleitoral com uma enxurrada de ações, com pedidos de direito de resposta e suspensão das peças, além de ações por calúnia, difamação e injúria contra a presidente Dilma Rousseff (PT). 

Neste sábado, coordenação jurídica da coligação de Aécio apresentou na PGE uma representação requerendo a abertura de investigação criminal contra Dilma Rousseff por divulgar informações “sabidamente inverídicas contra o candidato Aécio Neves em sua propaganda eleitoral”. Fonte: O Globo.

Detalhes
Notícia postada no dia 19/10/2014

 A presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, admitiu neste sábado, 18, que "houve desvio" na Petrobras, conforme denúncias do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa. Foi a primeira vez que a presidente confirmou a existência de desvio.

 A confirmação pela candidata ocorreu durante entrevista coletiva nesta tarde, no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência. "Se houve desvio de DINHEIRO público queremos ele de volta. Se houve não, houve, viu?", afirmou. Dilma afirmou também que o governo pretende pedir o ressarcimento de todos os recursos desviados pelo esquema comandado por Costa, com recursos desviados por meio de construtoras para financiar partidos políticos - entre eles, o PT, o PMDB e o PP. "Eu tomarei todas as medidas para ressarcir tudo e todos", disse. "Farei todo o possível para ressarcir o País."A presidente, contudo, disse que ainda não foi informada sobre valores que poderiam voltar para a estatal em razão da recusa do Supremo Tribunal Federal (STF) de permitir o acesso do governo a detalhes da delação premiada de Costa.

 "Ninguém sabe o que tem para ser ressarcido, porque os dados mais importantes da delação premiada não foram entregues a nós", disse. Ao ser questionada sobre se o pagamento de R$ 10 milhões por Costa ao ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, morto no início deste ano, tiraria dos tucanos a bandeira da ética, ela afirmou que "ninguém está acima de suspeita". "Não acho que ninguém no País tenha a primazia da bandeira da ética. Até o retrospecto do PSDB não lhe dá essa condição. Acho que não dá a partido nenhum", comentou. "Acho que ninguém está acima de qualquer suspeita no Brasil."FonteBN


Prefeitura de Belo Horizonte empregou ex-marido de Dilma

Cláudio Galeno exerceu cargo de confiança na prefeitura do PT durante quase quatro anos

Renato Scapolatempore - Estado de Minas
Publicação: 18/10/2014 06:00 Atualização: 18/10/2014 07:47

Além do irmão Igor Rousseff, o ex-marido da presidente Dilma Rousseff (PT) Cláudio Galeno de Magalhães Linhares integrou o quadro da Prefeitura de Belo Horizonte como funcionário comissionado. Ele exerceu cargo de confiança por cinco anos durante a administração do petista Fernando Pimentel (PT), recém-eleito governador de Minas, e de seu sucessor e então aliado Marcio Lacerda (PSB). Galeno atuou como consultor técnico especializado, nomeado para atuar diretamente no gabinete do prefeito, com salário que chega hoje a R$ 13.569,68.

A nomeação do ex-marido de Dilma ocorreu em maio de 2005. Quatro anos depois, em janeiro de 2009, quando o mandato de Pimentel se encerrou, ele foi exonerado do cargo. Galeno voltou à prefeitura em abril de 2009, já na administração do recém-eleito Lacerda, dessa vez como gerente de 1º nível da Gerência de Acompanhamento de Colegiados. O salário para esse cargo atualmente é de R$ 8.544,04.

Na gestão de Lacerda, que em seu primeiro mandato era apoiado pelo PT e pelo PSDB, Galeno integrou o Comitê Governamental de Gestão Participativa e também o Conselho Fiscal da Belotur, empresa municipal de turismo. Ele saiu da prefeitura em 5 de julho de 2010, data da publicação de sua exoneração no Diário Oficial do Município (DOM).
Dilma Rousseff, Cláudio Galeno e Fernando Pimentel, que foi também ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior da presidente, eram amigos da época de juventude em Belo Horizonte. Na década de 1960, eles militavam no Comando de Libertação Nacional (Colina), organização de esquerda que combateu a ditadura militar.

Galeno e Dilma se casaram em 1967, em um cartório civil com a presença de familiares e poucos amigos. O casamento não durou mais de dois anos. Em 1969, os dois militantes, já na clandestinidade, fugiram da capital mineira para o Rio. Pouco depois, Galeno foi para o Rio Grande do Sul, a pedido do Colina, e Dilma continuou no Rio. O militante participou no ano seguinte de sequestro de avião em Montevidéu, Uruguai, e ficou refugiado em Cuba. Assim como Dilma, Galeno se casou novamente.

IRMÃO Mais velho dos irmãos, Igor Rousseff também esteve na Prefeitura de Belo Horizonte com cargo de confiança durante a gestão de Pimentel, fato questionado em debate presidencial do SBT/Alterosa, anteontem, pelo candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB). Igor, que é advogado, foi nomeado assessor especial de Pimentel em setembro de 2003, pouco depois de o petista assumir a prefeitura, com a aposentadoria do então prefeito Célio de Castro. Em 1º de janeiro de 2005, ele foi exonerado da função.

Três meses depois, o irmão de Dilma, que na época era ministra da Casa Civil do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, voltou à prefeitura como assessor especial da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Informação. Ele exerceu o cargo por três anos e 10 meses, até 1º janeiro de 2009, quando se encerrou o mandato de Pimentel. Assim como Igor Rousseff, todos os servidores que não tinham cargos efetivos na estrutura da administração municipal foram exonerados.

Aécio está 13 pontos à frente de Dilma

Pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra o candidato tucano com 56,4% das intenções de voto e a petista com 43,6%

01.jpg
Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada entre a terça-feira 14 e a sexta-feira 17 mostra a consolidação da liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff no segundo turno da sucessão presidencial. De acordo com o levantamento, o tucano soma 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% da presidenta. Uma diferença de 12,8 pontos percentuais, que representa cerca de 19,5 milhões de votos. Se fossem considerados os votos totais, Aécio teria 49,7%; Dilma, 38,4%; e 12% dos eleitores ainda se manifestam indecisos ou dispostos a votar em branco. A pesquisa indica que nessa reta final da disputa os dois candidatos já são bastante conhecidos pelos eleitores. O índice de conhecimento de Dilma é de 94,4% e de Aécio, de 93,3%. “Com os candidatos mais conhecidos, a tendência é a de que o voto fique mais consolidado”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. O levantamento, que ouviu 2.000 eleitores de 24 Estados, revela também a liderança de Aécio Neves quando não é apresentado ao eleitor nenhum candidato. Trata-se da chamada resposta espontânea. Nesse quesito, o tucano foi citado por 48,7% dos entrevistados e a petista, que governa o País desde janeiro de 2011, por 37,8%.
abre.jpg
São Paulo (SP)
No maior colégio eleitoral, o PSDB
prepara uma vitória sem precedentes
Realizada em 136 municípios, a pesquisa ISTOÉ/Sensus também constatou que a campanha petista não conseguiu reduzir o índice de rejeição à candidata Dilma Rousseff. Quase metade do eleitorado, 45,4%, afirma que não admite votar na presidenta de maneira alguma. Com relação ao tucano, segundo o levantamento, a rejeição é de 29,9%. “Isso significa que a margem de crescimento da candidata Dilma é menor do que a de Aécio”, avalia Guedes. Os números mostram, segundo a pesquisa, uma forte migração para o senador tucano dos votos que foram dados a Marina Silva (PSB) no primeiro turno. “Hoje estamos juntos em torno de um programa para mudar o Brasil”, disse Marina na sexta-feira 17, ao se encontrar com Aécio em evento público na zona oeste de São Paulo.
02.jpg
Contagem (MG)
Petistas tentam evitar crescimento tucano na terra de Aécio
Desde 1989, quando o Brasil voltou a eleger diretamente o presidente da República, é a primeira vez que um candidato que terminou o primeiro turno em segundo lugar começa a última etapa da disputa na liderança. A pesquisa Istoé/Sensus divulgada no sábado 11 já apontava esse movimento, quando revelou que Aécio estava com 52,4% das intenções de voto. Na última semana, os levantamentos que são feitos diariamente pelo comando das duas campanhas também mostraram a liderança de Aécio. É com base nessas consultas que tanto o PT como o PSDB planejam a última semana de campanha. E tudo indica que o tom será cada vez mais quente. No PT há uma divisão. Um grupo sustenta que a campanha deve aumentar o tom dos ataques contra Aécio e outro avalia que a presidenta deva imprimir um ritmo mais propositivo à campanha. O mais provável, no entanto, é que a campanha de Dilma continue a jogar pesado contra o tucano. Segundo Humberto Costa, líder do PT no Senado, o partido vai insistir na tese de que é necessário “desconstruir a candidatura tucana”. “Não basta ficar defendendo nosso governo”, disse o senador na sexta-feira 17. Claro, trata-se de um indicativo de que a campanha de Dilma vai continuar usando a mesma tática. “Se deu certo contra Marina, deverá dar certo contra Aécio”, afirmou Costa.
03.jpg
Foto: Igo Estrela/ Coligação Muda Brasil
Foto: Igo Estrela/ Coligação Muda Brasil
"Quero ser lembrado como o presidente do Nordeste Brasileiro", afirmou o candidato à Presidência da República, Aécio Neves, para milhares de pessoas que lotaram o Largo do Pelourinho, em Salvador, na tarde desta sexta-feira (17). Depois de sair da Praça Castro Alves e percorrer o Centro Histórico, em carro aberto, ao lado do prefeito ACM Neto e lideranças políticas baianas, acompanhado por uma multidão, Aécio fez questão de manifestar publicamente a sua determinação de, no caso de eleito, reduzir as desigualdades regionais dando como exemplo seu compromisso com o Nordeste. "Nosso projeto é diminuir essas vergonhosas desigualdades regionais que nos separam. Vamos tomar medidas para superar definitivamente a pobreza no País", assinalou Aécio, sob os brados de seu nome e de "fora PT", gritados pelos milhares de presentes. "Escolhi o Pelourinho para falar a toda nação que o Brasil é negro, pardo, índio e branco. É de todos os brasileiros. Não aceita esse discurso de nos dividir ao meio. Unidos vamos encontrar o caminho do progresso e da justiça social". O candidato tucano foi veemente ao ressaltar que será parceiro da Bahia, independentemente do partido que esteja governando o estado. "Darei o exemplo àqueles que não agem de forma republicana. Vamos libertar o Brasil de um grupo político que tomou o poder e não quer mais sair", disse, destacando que a adversária petista não tem limites para mentir e não faz o jogo da boa política. "No chão sagrado da Bahia, digo que, a cada calúnia e mentira lançada sobre mim, vou reagir com 10 verdades sobre eles". Anfitrião da festa cívica verde, amarela e azul no Pelourinho, o prefeito ACM Neto reiterou que o Brasil não se divide. "Norte, Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste, o Brasil é um só". Ele lembrou que o discurso petista de intimidação e ameaças foi derrota com sua vitória na eleição municipal de 2012. "No próximo dia 26, o resultado será o mesmo de 2012", asseverou confiante. ACM Neto garantiu que Aécio, presidente, não vai fazer com o governador eleito da Bahia o que ameaçam fazer com ele na prefeitura. "A Bahia terá todo apoio e ajuda do futuro presidente Aécio Neves". Neto homenageou todos os novos apoiadores da candidatura tucana no segundo turno na figura da ministra Eliana Calmon. Presente ao ato público, ela se emocionou ao ouvir a multidão gritando uníssono seu nome. O otimismo e a confiança se estampavam também nos semblantes do ex-governador Paulo Souto, dos presidentes partidários, José Carlos Aleluia (DEM) e Geddel Vieira Lima (PMDB), do prefeito José Ronaldo, de Feira de Santana, além dos deputados federais Antonio Imbassahy e Jutahy Jr. "O PT é finado", prognosticava o artesão Rubem Silva, sob o clamor da multidão: "Aécio, Aécio, Aécio!".

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Aécio chama Dilma de leviana e é acusado de nepotismo em debate na TV

O primeiro debate presidencial do segundo turno foi marcado por troca de acusações entre a presidente Dilma Rousseff e o tucano Aécio Neves, principalmente quando o tema corrupção foi abordado no final do segundo bloco do encontro promovido pela TV Bandeirantes, nesta terça-feira. Em um dos momentos mais tensos, Aécio acusou sua adversária de “estar sendo leviana” ao dizer que o tucano entregou a um tio as chaves do aeroporto de Cláudio (MG), construído pelo governo de Minas Gerais. Em seguida, Aécio afirmou que o governo atual “virou um mar de lama”, em referência às denúncias de pagamento de propinas em obras realizadas pela Petrobras, investigação feita pela Polícia Federal na Operação Lava-Jato. Dilma reagiu e acusou o tucano de praticar o nepotismo, ao nomear parentes para cargos públicos, sem citar quais. A temperatura começou a subir quando, no início desse bloco, Aécio disse que o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa, preso na Lava-Jato, recebeu elogios em em ata de reunião da empresa pelos “bons serviços prestados”, ao se demitir do cargo. O tucano perguntou a Dilma que “bons serviços” eram esses. Em resposta, Dilma disse que sua indignação em relação ao que foi descoberto pela PF “era a mesma de todos os brasileiros”. E passou a enumerar casos de corrupção durante os governos tucanos que, segundo ela, não levaram ninguém à prisão, como o mensalão em Minas e as denúncias de cartel nas licitações do serviço de transporte sob trilhos em São Paulo. Em seguida,citou o Aeroporto de Cláudio: — Como o senhor explica ter construído um aeroporto que na época custava R$ 13,9 milhões e agora custa R$ 18 milhões. E foi construído em terreno de sua família, no terreno de seu tio e chave fica em poder dele? Eu não acho isso nada moral e nem ético . Aécio reagiu irritado: — Eu quero responder à candidata Dilma olhando nos seus olhos. A senhora está sendo leviana. O Ministério Público Federal atestou a regularidade dessa obra. Fiz milhares de obras no meu governo. Todas elas atestadas como obras corretas. A obra de Cláudio, que a senhora insiste em repetir e também de forma leviana no seu horário eleitoral, tanto que o TSE retirou do ar, foi uma obra feita em área desapropriada em desfavor de um tio avô meu para beneficiar uma região próspera, onde estão mais de 150 indústrias. O Ministério Público Federal disse que a obra é correta. paternidade de programas em foco Na sequência de acusações, Dilma disse que, ao contrário do que Aécio afirmara, o Ministério Público não aceitou a ação penal, mas está apurando se houve improbidade administrativa, frisando que isso significa “mau uso dos recursos públicos”. Na esteira de acusações, Dilma disse que o tucano empregara “um irmã, um tio, três primos e três primas” no governo. — A senhora tem obrigação de dizer onde minha irmã trabalha. Não pode fazer campanha com tantas inverdades — reagiu Aécio, encerrando esse bloco. No início do terceiro bloco, logo após essa discussão, Dilma não respondeu a Aécio, mas disse que leviano era ele. A paternidade dos programas sociais também foi um tema recorrente. Dilma acusou o tucano de ter propostas que são somente continuidade de projetos implantadas por petistas durante os 12 anos em que estão no poder. —As únicas propostas que a senhora apresenta são a continuidade dos meus projetos. Pode entrar no Tribunal de Contas do Estado que o governo de Minas Gerais foi obrigado a assinar um termo de ajustamento de gestão. No Samu, vocês têm o terceiro pior desempenho. Vocês só têm (a cobertura do Samu) em 28% dos municípios e 45% da população não tem Samu. Como posso acreditar que o senhor vai fazer o Mais especialidades? Nesse ponto, Aécio afirmou que “ninguém é dono de bons projetos” e que programas bem-sucedidos do atual governo como Bolsa Família, são continuação de iniciativas da gestão de Fernando Henrique Cardoso, como Bolsa Escola e o Bolsa Alimentação. Já no início do debate, Dilma e Aécio trocaram acusações sobre suas gestões à frente da Presidência da petista e do governo de Minas, respectivamente. A petista citou números sobre o governo mineiro, principalmente na área da Saúde, e o tucano respondeu dizendo que Dilma faltava com a verdade. Ainda no primeiro bloco, Aécio disse que os dois candidatos pareciam de oposição, porque “quem vê a sua campanha acha que a senhora não governou”. Já Dilma respondeu, afirmando que parecia que o senador parecia candidato da situação porque insistia em falar na continuidade de seus projetos. Logo na primeira pergunta, Dilma disse que os tucanos votaram contra a CPMF e acusou Aécio de não investir na Saúde o que determina a Constituição, quando estava à frente do governo mineiro. Aécio respondeu que todas as contas de sua gestão foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado. Ao responder a Dilma sobre o Mais Especialidades, promessa da petista para a Saúde, Aécio disse que a ideia é copiada do PSDB e provocou a adversária ao dizer que Dilma parece uma candidata de oposição. — A sua proposta do Mais Especialidades é a nossa. Lamento que a senhora só tenha se preocupado com isso quando seu governo termina. A impressão que tenho é que temos dois candidatos de oposição. Não temos um candidato de continuidade. Quem vê a sua campanha acha que a senhora não governou o Brasil ao longo de todos esses anos — atacou Aécio. Dilma reagiu com um jogo de palavras: — E quem vê agora as suas propostas pensa que o senhor é candidato da situação, porque as únicas propostas socais que apresenta é a continuidade dos meus projetos — disse Dilma. Quando Dilma disse que Aécio, no governo de Minas, não repassava o mínimo determinado pela Constituição à Saúde, o tucano retrucou: — O governo da senhora chegou num determinado momento em que os investimentos do Bolsa Família eram contados como investimentos em Saúde. Minas é reconhecido pelo Ministério da Saúde como o que tem a melhor Saúde da Região Sudeste.

Post patrocinado contra Dilma rende multa a responsável



O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu na noite desta terça-feira (14) aplicar multa no valor de R$ 5 mil ao idealizador da página "Já tirou um voto de Dilma hoje?" no Facebook e determinar que o responsável não realize postagens patrocinadas na rede social. De acordo com relator do caso, ministro Tarcísio Vieira de Carvalho, a legislação veda propaganda eleitoral paga na internet no período das eleições e o responsável pela página usou o recurso de postagem patrocinada na rede social. A coligação da presidente e candidata do PT, Dilma Rousseff, entrou com representação contra o tucano Aécio Neves, a coligação Muda Brasil e o responsável pela página, Daniel Motta. O tribunal decidiu que a representação era improcedente em relação a Aécio e à coligação do tucano, mas reconheceu a responsabilidade de Motta. Não será necessário retirar a página do ar, pois a veiculação de mensagem eleitoral é permitida em razão da liberdade de expressão, mas o pagamento para que as publicações atinjam maior número de seguidores não pode ser feito. Por ter realizado as postagens patrocinadas, Motta terá que pagar multa de R$ 5 mil. O TSE não aplicou sanções a Aécio e à coligação Muda Brasil por não verificar relação entre a página e o candidato. (Estadão)